27 February 2013

de tudo o que passou...

"A gente ri, a gente chora, e joga fora o que passou. 
A gente ri, a gente chora, e comemora o novo amor."
Ano novo, enfim! Isso mesmo. O ano AGORA começou para mim e para muita gente que conheço e isso é muito natural, entre os brasileirinhos... finalmente a rotina foi restabelecida. Os festejos de fim de ano, seguidos dos preparativos  para "viver mais um carnaval" me abandonaram, juntamente com o inferno astral que durou tanto que quase não suportei o seu peso. 

Algumas lições, porém, me acompanharão, na bagagem de mão, estrada afora. 
  • se estiver sob fortes tensões, melhor desabafar com quem está por perto. O silêncio não ajuda e as chances de uma má interpretação são menores;
  • é muito bom estar apaixonada, mesmo sendo aquela paixão platônica que [ainda] teima em viver, sem o meu consentimento.
  • não saio de casa ou não viajo mais, se eu estiver com pouca grana. Ninguém tem culpa e sequer deve bancar o que nem eu dou conta para o momento;
  • sobre o item anterior, uma grande amiga, Pampona, me dizia que nossa liberdade começa no bolso. Concordo, concordo, concordo;
  • se conselho fosse realmente válido, todo mundo implorava para receber. Pobre de mim, pobre de todos os vaidosos, que se acham bons conselheiros.
  • carnaval com fantasia merece [meu] espírito leve. Do contrário, a máscara pode ser leve, mas ainda assim, a aparência final será a de uma feia e triste carranca;
  • trabalhar no verão é tarefa penosa e mais desgastante, talvez por causa do calor e do convite a céu aberto implorando dedicar o tempo para praia, sol, mar, sorvete. 
  • acordar com amigos em rede te desejando "um bom dia" não tem preço.
  • confessar que está sentido saudade é tão bom quanto ouvir a mesma coisa, do outro lado.
  • música, cinema, escrita: me parecem ser os recursos mais saudáveis, em tempos de fuga e reclusão.
  • cozinhar e faxinar são duas terapias deliciosas. Uma ação pode até engordar, a outra pode até emagrecer. 
  • não consigo [nem deveria tentar] deletar ninguém em minha vida. As pessoas não são descartáveis, muito menos chips. Ah, mas posso continuar deletando torpedos que me confundem.
  • descobrir que alguém que amamos está doente é tão angustiante quanto concluir que a nossa saúde é muito frágil. 
  • E pior: constatar que não temos poderes mágicos para sumir com as dores alheias.
  • plantas não sobrevivem sem água, sol e ficam mais lindas com conversas de pé de ouvido diárias;
  • a palavra MENOS continua imperando em meus dias: menos açúcar, menos carboidrato, menos álcool, menos distância dos que amo.
  • quem mora longe dos seus, como eu, sabe que viajar para fortalecer os laços é sempre necessário quando nos sentimos perdidos e carentes. 
  • planejar um tantinho das minhas férias tripartidas, inclui repensar qual o próximo destino a trilhar. O pensamento e o coração já estão aí, e a minha mala já está quase pronta, família.

20 comments:

  1. Amiga,

    Lindo,lindo,lindo sempre... Tenho aprendido muito com as nossas andanças... E como diria o poeta "Descobri que te amo demais..." Beijocas amorosas, Nanci

    ReplyDelete
    Replies
    1. Ai, que linda você! Ainda bem que vai voltar pra nossa Bahia. Nossos caminhos estão cruzados. "... pra ganhar seu amor fiz mandinga..." risos... beijo, amiga!

      Delete
  2. A mais pura verdade:"Nossa liberdade começa no bolso"

    ReplyDelete
    Replies
    1. Consumir arte, cultura, deslocar-se, alimentar-se, hospedar-se... dependemos de din din... se não ficamos presos. Beijo, amiga!

      Delete
  3. Amo tudo que escreve...vc é fantástica!!!viajo em tuas palavras...adoro <3

    ReplyDelete
    Replies
    1. Que gracinha! Obrigada, Beta! Beijão!

      Delete
  4. Eita coisa bonita de se ler!!!
    Adorei conhecer suas conclusões, percebo que seu caminho está te levando pra um destino diferente... e melhor, pode crer!
    Sinto muito essa distância que se estabeleceu entre nós e não sei se já disse isso, mas Vc me faz falta.
    Apesar disso, entendo seu processo, sua falta de tempo e respeito suas escolhas. O melhor é saber que nada abala o sentimento maior, a amizade.
    Um beijo enorme.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Amiga, a distância é SOMENTE física. Estou conectada, e sempre atenta aos seus processos. Mas fato é que amizade entre amigas solteiras e amigas casadas sempre nos deixa com essa sensação de distanciamento.. mas é só uma sensação... não é real!!!!!! Te amo! também sinto muito a sua falta, e nem imagina o quanto!! Bj nos seus meninos.

      Delete
  5. Que texto bom de ler, amiga!
    Que bom que o período de férias foi de aprendizagem também!
    Felicidades sempre!
    Beijo,
    Mari

    ReplyDelete
    Replies
    1. Férias? Amiga, eu não sei o que é isso... as aprendizagens são frutos das tensões do verão..risos... Um beijo!

      Delete
  6. Boas conclusões, hein Ju? Vale pra todo mundo! Bjão!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Oi Sérgio! Eu tô relendo sempre... risos... beijo, querido!

      Delete
  7. Pampona (via msn)1 March 2013 at 15:54

    Achei mto lindo e te digo os textos estão ficando mais maduros e mais bonitos, então amiga, a idade tá te dando mais inspiração. Está poético e reflete os sentimentos de todos nós.
    Beijos e obrigada por lembrar de mim, eu adorei.
    beijos no coração.
    Ana

    ReplyDelete
    Replies
    1. Pampona, obrigada!!! Saudades... venha me visitar em Maceió!! A casa é sua! Bj

      Delete
  8. Vim lá da Paty pra te conhecer.Deixo um beijo!

    Tudo de bom! chica

    ReplyDelete
    Replies
    1. Que bom, Chica! Muito obrigada pela leitura e visita. Volte mais vezes... vou retribuir o carinho também! Beijão!

      Delete
  9. Gostei muitos da postagem lições que nos fazem refletir, vim do blog da Paty e já fiquei.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Ai, que legal Patricia! Vou te visitar, também! Beijo!!

      Delete
  10. Parabéns pelo blog. Boa dica da Paty Michele... :)

    ReplyDelete
    Replies
    1. Oi Vinícius! Obrigada pela visita! Volte sempre... beijo!

      Delete