9 May 2013

só as mães são felizes?

Verdade. Eu chamo o môblog de filho. É uma brincadeira óbvia. Sei que ser mãe é padecer no paraíso, não maravilhar-se o tempo todo, como eu sempre faço quando aqui adentro. Mas decidi escrever sobre "ser mãe", para não deixar passar com indiferença um dia tão simbólico, talvez um dos únicos que de fato me emociono e me dedico a enaltecer a minha amada mãezinha, tão generosa e dedicada, que me acolheu em seu ventre e me acolhe continuamente, de tantas maneiras lindas.

Começo obviamente por ela: por ter me presenteado com a vida. Ela literalmente me pariu, me balançou, me ensinou as coisas mais importantes da vida: respeitar e amar uns aos outros e ser uma pessoa limpa, ética, higiênica. Sou grata por ter sido tão bem cuidada na infância. Por ela ter me apoiado em meus sonhos juvenis. Fiz todas as viagens que quis. Participei de todas as festas, carnavais e forrós que pude. Tive a felicidade de receber uma educação de qualidade [e cara], que ela se sacrificou para garantir que eu me formasse e realizasse os meus sonhos profissionais. Já na fase adulta, embora distanciadas fisicamente, mantemos um elo maravilhoso. De diálogos verdadeiros, de desabafos, de trocas, de carinho. "Ainda ontem, chorei de saudade....".... ai, adoro essa canção que agora toca enquanto escrevo, na voz de Paula Fernandes, que minha mãe, coincidentemente, adora também.
Pensando em outras mães, me vem à lembrança as minhas manas, quase gêmeas.
Uma é do tipo que cozinha muito bem, ama dormir grudada com suas crias, e dá bronca do mesmo modo que dá carinho, sem meias palavras ou receios. É um amor de mãe, lindo de se ver.
A outra, vê filme junto, compartilha músicas, roupas, acessórios e ideias, sobre tudo. Treinam juntas e conversam, como se [só] amigas fossem. Brigam olho no olho e depois se desculpam por torpedos, estando ambas numa mesma casa, separadas em seus quartos e suas televisões. É um amor de mãe, fácil de se perceber.
Tenho todas as minhas tias-mães e algumas já tias-avós, que são deliciosamente maternais. Todas cercam seus filhos, sobrinhos e netos com muita comilança e alegria nos reencontros. As casas de minhas tias são festas diárias. Não é preciso ser aniversário.
A maior vantagem de ser sobrinha, sem ser ao mesmo tempo mãe, talvez seja essa: perceber o quanto o amor pode manifestar-se de forma tão abrangente e democrática e compreender que sacrifícios não são vistos ou sentidos como sacrifícios. O que fazem pelos filhos, fazem em nome da felicidade em ser parte deles, no sangue, no coração, na alma.
Das muitas primas-mães que tenho, eu descobri que aprendi a admirar todas. Das marinheiras de primeira viagem, as jovenzinhas, que parecem "brincar de casinha" com seus bebês, às mais maduras, que parecem querer construir casinhas ao lado das delas, para manterem-se à espreita, próximas, ao sinal de qualquer perigo ou necessidade. Um colo, no meio de uma manhã, por exemplo. Estão todas de parabéns, as minhas primonas: Nega, Isa, Ana Cristina, Paula, Vanessa, Veruska, Cleuma, Nara, Selma, Ivete, Ialva, Leninha, Neide, Dadá, Dêa, Linde, Maiza... ai, memória, me ajude a lembrar de todas!!
Por falar nisso, uma delas, Bóba, não é só mãe. É terapeuta, psicóloga, fonoaudióloga, fisioterapeuta, palhaça, psicopedagoga, cuidadora, contadora de histórias reais e inventadas. Meu neném tem várias mães, que se multiplicam a cada nova demanda que ele desenvolve, enquanto se desenvolve.
Tenho uma cunhada que parece ser mãe até do marido. Meu mano é tratado como filho, especialmente no quesito alimentação. Nos outros, claro, volta a ser o homem amado da vida dela! Não, eles nunca virarão irmãos!
E para a minha mais completa felicidade, eu vivo cercada por amigas que tem filhos e amigas que só tem dindos. Me sinto uma privilegiada de perceber as aventuras e desventuras nos dois tipos de existência feminina. Queria falar de cada uma. Não seria um post. Seriam vários capítulos, pois cada uma é diversa e especial. Vou tentar falar do que observo nelas e como me encantam de formas diferentes:
Gica é aquele tipo de mãe passional. Se pudesse entrava no coração da filha, ou no pensamento, e arrancaria qualquer angústia que ela viesse a sentir. É muito bonito e mágico perceber a sua devoção, o seu desconforto e empenho em querer confortar sua adorada Isa.
Nate é uma escorpiana do tipo leoa. Protege seus filhos de qualquer perigo do mundo. Da alimentação às festas que promove, passando pelos investimentos em cultura, esporte e educação, ela se envolve de tal maneira que é muito fácil identificar que ali não é só uma mãe. É a referência de vida para eles. E para ela é a própria vida. Não conheço ninguém que se transformou tanto, em nome do amor pelos filhos.
Patiinha tem um rapazinho que é uma benção. Ele fala bentices e ela publica as mais mais, como uma forma de estender seu encantamento conosco, tios emprestados e babões. Cada fase dele, eu venho acompanhando, ainda que pela escrita dela. É emocionante perceber o quanto ele cresceu e tem feito dela um ser humano muito melhor e cada dia mais radiante.
Ana é uma mãe incrível. Aquariana que só, ama a liberdade e [talvez por isso] permite aos filhos conquistarem livremente seus caminhos. Ainda assim, atenta e apaixonada por ambos, cuida de mantê-los próximos e confirmar que estão saudáveis e felizes.
Já Bia é aquela mãezona que malha, trabalha e educa, tudo ao mesmo tempo. Curte o rock de um filho e a devoção pelo futebol do outro. Os três são lindos, e mais ainda quando estão se divertindo juntos.
Mai é única. Faz das tripas coração para garantir o melhor dos mundos para seu filho. Fico impressionada com sua energia diária. Leva na escola, no trânsito caótico da cidade, e o faz com o maior prazer, sem reclamar. Ele, por sua vez, acumula medalhas de prêmios por sua inteligência absurda com os números. Ela, do outro lado, se envaidece e vibra com cada vitória do filhão. Muito lindo o cuidado de um com o outro.
Na minha paixão por tantas boas referências, poderia citar muito mais amigas como Léa e sua Alice, Rosinha e seus fofos, Lina e seu João notável, Marise e seus filhos já criados, Déa e seu casal lindo, Gegê e suas meninas, Beatriz e sua Vitória, Betina, Nanci, Cris e seu Peu, Paula e seu filho que soube que é um gatão, ai, e outras tantas, por serem tão mãezonas e dedicadas. Adoro compartilhar dos seus dilemas e emitir conselhos inúteis, afinal elas sabem como criá-los e educá-los muito bem!
Ah, tem aquelas que ainda sonham com roupas de gestante, a dor do parto e a emoção do primeiro choro dos seus rebentos. A essas, somo a minha vontade que seus projetos se concretizem. Vou torcer para ser dinda, novamente. É uma delícia ser tia-madrinha.
E é pensando nisso que encerro, pensando nesta data também com aquelas que [ainda] não são mamães. Tanto faz se por uma escolha ou por uma fatalidade. Para nossa sorte, todas estão vivas, com saúde, amam seus sobrinhos e compartilham comigo suas experiências de tias-mães. Comemoram a conquista da escrita, pelo dente de leite que caiu, pela delícia da ida ao cinema ou ao pula-pula, e até [simplesmente] por aprender a ninar, a trocar a fralda,  ou o feito de dar sopinha sem melecar o rosto da criança, o macaquinho que acabou de ser trocado.
Tomara que todas as mulheres: mães ou futuras mamães e tias-dindas, ao me lerem, sintam-se reconhecidas e prestigiadas. Sendo eu, filha, neta, sobrinha ou apenas amiga, entendo que a experiência da maternidade extrapola e nem faz sentido ser mais explicada pela relação umbilical. É um ato de doação de vida. É também exercício contínuo de aprender a tolerar, a nutrir a paciência, a se colocar no lugar do outro. É ainda dar limite e não cobrar por isso, muito menos por afeto. É cumplicidade. É respeito. É amor incondicional.
é ou não é um lindo presente para Tia Ju?

42 comments:

  1. Veruska via FB9 May 2013 at 15:08

    Amei, prima!!! Lindo texto. Obrigada pela homenagem. Bjo.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Mãe de Francesco, parabéns!!!!!!!!!!!! Beijão!

      Delete
  2. Rosinha via gmail9 May 2013 at 15:26

    Ju,
    Amei seu texto em homenagem às mães " de todos os tipos e jeitos"... retrata as novas configurações de ser mãe! Fiquei feliz em ter sido pontuada em seu belíssimo registro... excelente e emocionante escrito.
    Obrigada pelo carinho de sempre!
    Quando vir a Conquista, avise-nos!
    Um beijo caloroso e um forte abraço de Mãe!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Aviso sim, amiga! Beijão, linda! Parabéns!!!!

      Delete
  3. Amiga, adorei saber mais sobre suas amigas-mães e me identifiquei mto com a Nate (Renate?).
    Agradeço o carinho e a verdade nas palavras sobre mim e meu menino Bento.
    A melhor frase? Essa:"sacrifícios não são vistos ou sentidos como sacrifícios."
    A mais verdadeira? "Amor incondicional".

    Parabéns pra dona Marinalva e pra todas as demais mães citadas em seu belo texto.

    beijos.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Que fofa... bom que aprovou!!! Mãe lindona, magra e loira!!! Risos... saudade!

      Delete
  4. Lindo texto prima! Parabéns!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Agora lascou... prima, quem é você?? Mesmo assim, obrigada pela vinda até aqui!! Bj

      Delete
  5. Lendo agora Jusciney Carvalho....

    Sua linda homenagem toca na alma...a medida que fui lendo, fui identificando cada uma que descreveu e que tb conheço...e fui chorando...Quando cheguei em Nate, já em lágrimas...A minha então, aff, amei tudo... Você e suas sábias palavras, emociantes e verdadeiras...
    Parabéns também por ser mãe-tia-dinda....

    Sds de você amiga linda....Desejando logo chegar dia 17/05 para resenharmos muito....
    Bjs

    Maiza

    ReplyDelete
    Replies
    1. ohhhhhhhhhhhhh.... que lindo, Mai... mas não era para chorar, boba! Bj

      Delete
  6. Ju, minha amiga poetisa, presente doce nos meus dias amargos de Alagoas, alagados de saudade da minha terra, de minha mãe, dos irmãos e sobrinhos tão amados! Talvez a tarefa mais difícil seja nos ver fora dos sonhos e desejos dos nossos filhos, esses seres tão entranhamente amados, sem os quais perdemos até a referência de tempo, rs. Beijo, Cris Pepe

    ReplyDelete
    Replies
    1. Oi Cris... somos feitas de saudade!!! Te adoro! Bj e parabéns pelo trio perfeito que você deu vida e garante reunião à sua volta, todos os dias... sortuda!!!

      Delete
  7. Keli Nogueira via FB9 May 2013 at 23:23

    tia querida!!!muito lindas suas palavras e sábias tbm!!!fiquei muito emocionada!!!um enorme bjo

    ReplyDelete
    Replies
    1. Minha sobrinha, que pena eu não conhecer seu filho... aff, me dou conta que já sou tia-avó!!! Parabéns pela dedicação e amor ao seu Téo!

      Delete
  8. Juba, vc sempre lembrando de tds. Bjs

    ReplyDelete
    Replies
    1. Que nada... o tempo todo vou acrescentando e lembrando de mais mamães queridas que me cercam! Beijo nos seus homens!

      Delete
  9. Obrigada minha amiga!saudades

    ReplyDelete
    Replies
    1. Fofa.... te acho uma mãe linda! Bj

      Delete
  10. É verdade.Nas casas das tias parece ter festa todo dia.Especialmente quando os sobrinhos visitam rs rs rs e voce é uma sobrinha festeira,observadora e carinhosa.Obrigada pela homenagem. Beijos!

    ReplyDelete
  11. Suzana Barrrios10 May 2013 at 08:58

    É, Ju, posso dizer que neste momento da minha vida sinto tão UMBILICALMENTE o que é ser mãe/filha! Ao tempo que vivo a maravilhosa experiência de ser mãe (já começou, especialmente por tudo o que tenho feito por esse filho amado. Quem disse que é só quando nasce?), também vivo, de forma tão intensa, a experiência de ser filha, quase voltando à época da infância, já que os cuidados que exijo da minha mãe são bem parecidos... Assim, só posso dizer,tentando responder à tua pergunta se "só as mães são felizes", que somos felizes pelas mães que temos e isso já é grande coisa, sendo mães ou não. Parabéns pela sua mãe! bjo!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Su, eu pude presenciar vc sendo tratada como uma menina de seis anos que precisa tomar sopa com muita verdura... risos... sua mãe é uma fofa e você seguramente vai dar todo o amor para Miguel. E eu vou ser tia de novo... risos... beijo!!!

      Delete
  12. Ju, tão lindo isso... Essa sua generosa homenagem... Há algo de materno nesse seu modo de nos fazer carinho... Talvez cuidar, amar, doar, ficar atenta, querer tirar a dor não seja sentimento de mãe. Seja só o amor, que pode tomar qualquer relação. Beijo. Te amo.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Tão bom receber esse carinho virtual... sei que é verdade o seu amor por mim, pois é igualzinho do lado de cá! Bj, mamãezona!

      Delete
  13. Heloísa Ferreira via FB12 May 2013 at 02:37

    Prima ! muito obrigada pela homenagem, que bom que você tem o dom das palavras!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Ohhhhhhhhhhhhhhh... que bom que gostou, prima!! Bj e feliz das mães!!!

      Delete
  14. Mana Dilma via FB12 May 2013 at 02:38

    É minha mana vc conseguiu atingir a todas,com o seu toque de perspicácia que lhe é peculiar!! Sei que com a minha Única,tenho muito a crescer...mas amo sem medidas aquela Loirinha,que também é se neném!! Mas fica a a dica...todas as mulheres somos felizes, independente de sermos mães naturais,ou não...pois temos o dom de amar... sem rótulos!! Um bjão Hélia,...tia JU!!!!kkkk

    ReplyDelete
    Replies
    1. A Única é o meu Neném, isso é fato...risos... eu sou Hélia mermo... risos... beijo, irmã! Feliz dias das mães... te ligo daqui a pouco... eu te amo!

      Delete
  15. Ju , lindo texto amiga !! Muito obrigada por vc existir !! Te amo !! Adorei a homenagem
    !!! Bjs

    ReplyDelete
    Replies
    1. Você é uma mãe linda, Bia! E seus filhos, ai, lindos demais!!! Bj

      Delete
  16. Amei Ju! Vc é fantastica nas suas colocações!
    Obrigada por se lembrar de mim!Saudades! Bjooooooooooo Betina

    ReplyDelete
    Replies
    1. Beta eu jamais me esquecerei daquela cena: você e sua filha, tão cúmplices, no show da Kate Perry no RIR 2011!!! Maravilhosa aquela experiência!! Beijo, amiga... saudade, também!

      Delete
  17. Aiii tia que texto lindooo ! É, realmente eu e minha mae somos duas amigas e companheiras em quase tudoo, com nossas desavenças as vezes, mas nos amamos loucamente.. Saiba que vc eh uma tia-mãe MESMOOOO! Lembro de quando era pequena e vc fazia penteados no meu cabelo, me arrumava que nem uma bonequinha... Te amooo ..

    ReplyDelete
    Replies
    1. ... e também IMPLOREI para voltar a ser a minha Lorinha...risos... tb te amo, Ném. Bj

      Delete
  18. Irmana Lila via FB13 May 2013 at 16:13

    Lindo, lindo, lindo...sou a mãe mais coruja e mais feliz com minhas crias!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Bota coruja nisso!!! Beijo, irmana!

      Delete
  19. Eu estou aí também??? ô que lindo!!!! Muito obrigada minha amiga linda. bjssss

    ReplyDelete
    Replies
    1. Clarooooo... Alice é meu sonho de cachinhos! Uma delícia! Beijo, amiga!

      Delete
  20. Cheguei atrasado no seu texto de homenagem ao dia das mães mas ainda vale. Adorei, Ju. Muito lindo. bjssssss

    ReplyDelete
    Replies
    1. Oh... que legal! Você é um leitor generoso! Beijo!

      Delete