19 August 2014

dois em um

"Lembra de mim
Nós dois nas ruas provocando os casais
Amando mais do que o amor é capaz
Perto daqui há tempos atrás..."

Agora eu passo a entender porque é tão importante validar o amor, através de textos escritos e imagéticos. Amar nos transforma em seres menos egoístas. Não acredito que amamos para causar inveja. E se causamos, tomara que todos consigam amar e viver o amor em sua plenitude. Oceanos podem até separar corpos. Corações, não.
Faz pouco tempo que alguém me disse: "é estranho um casal que se ama não exibir fotos deles juntos, nas redes sociais". Discordei veementemente. Hoje já penso diferente. Não sei se pelo fato de estar desejando exibir a minha felicidade aos olhos alheios; não sei se por passar a acreditar que o amor é possível de existir em dois corações em sintonia, e não apenas em um, sofredor.
Os amores platônicos sempre fizeram parte de mim. Sempre amei, me apaixonei, fantasiei o amor, com todo o romance possível.
E não havia fotos lindinhas, nem declarações do outro lado. Era eu me doando, insistindo, desejando. Um ser solitário, numa namoradeira numa varanda com chuva caindo e encobrindo a lua cheia. Contemplar a lua a dois, ou o pôr do sol, só em filmes.
E percebi que isso tudo pode ser real. Para nós dois está sendo real. O nosso amor pode tudo. A gente deseja e briga por isso.

Ivan Lins, você agora não me provoca mais. Citação da música "Lembra de mim" (1997).

2 comments:

  1. Os amores platônicos sempre fizeram parte de todo mundo, creio eu. E esse sentimento, correspondido ou não, acaba sendo inspirado para a escrita. Bjssss

    ReplyDelete
    Replies
    1. Inspirador para quem sofre e maravilhoso para quem lê... mas de verdade, prefiro amores recíprocos.... basta de solidão!! Beijo

      Delete