6 December 2018

sobre nós 2

A nossa história começa controversa, inédita, surpreendente, cheia de altos e baixos, esquinas, vinhos, curvas, ausências, silêncios, vontades, beijos, vozes, olhares, mais silêncios, despedidas.
...

Eu não sei lidar com o imprevisível. Não sei lidar com esse medo gostoso que me consome e me deixa assim, com sorriso de um canto a outro, sem saber se comemoro a presença, se lamento a distância, se ignoro o passado, se finjo que estou indiferente.
...

É um misto de sentimentos, de ansiedades, de expectativas, de surpresas, de medos. Ah, os medos...
...

Queria adiantar as horas, apertar o tempo, cruzar caminhos, te reencontrar a seguir.
...

A cumplicidade que parece crescer me deixa mais atônita. Já se vão tantos desenganos, na dança da solidão... difícil acreditar nesse compasso que se desenha.
...
Por nós dois, sou mais reticências agora.
...

24 October 2018

um textão, + um desabafo

24 de outubro de 2018.

Hoje meu sobrinho-neto completa 3 anos. Eu tive que sair do grupo de whatsapp dele, porque no dia das crianças comentei sobre o perigo desse discurso de ódio e apologia às armas que o irresponsável do candidato à presidência #JairMessiasBolsonaroNUNCA vem fazendo, estimulando armas e ensinando nossas crianças a fazerem o símbolo do gatilho. É uma dor não estar lá no grupo hoje, pra receber fotos dele, e estar com meus parentes queridos que só querem paz, amor e alegria pra ele e, sei que sim, para todas as nossas crianças.
Queria dizer para meus familiares, meus amigos e colegas, que não sou irresponsável, não espalho fake news e não prego ódio a partido nenhum e nem acho que ESTA ELEIÇÃO SEJA uma eleição de partidos políticos em disputa.
Eu não sou filiada ao PT, nas eleições de 2014 fiz campanha virtual de longe, pois nem estava no Brasil.
Mas fiz campanha sim, pois havia a disputa entre dois candidatos, um pelo PT (Dilma Houssef) e outro pelo PSDB (Aecio Neves).
Naquela ocasião, compreendi que havia uma polarização demarcada entre os que estavam bastante incomodados com o PT no poder e os que buscavam mudanças.
O PT venceu mas não conseguiu governar por muito tempo. Houve disputa política e no dia seguinte ao da votação de segundo turno, um pedido de impugnação da chapa Dilma/Temer.
Entre 2015 e 2016 vivenciamos um ano dificílimo em todas as áreas, inclusive na educação. Vivenciamos uma greve nas universidades federais que se arrastou por meses a fio.
Eu fiquei muito indignada com a falta de diálogo do então ministro Renato Janine. Criamos uma hashtag na época #dialogajanine. Fizemos inúmeros movimentos e tentativas de diálogo. Fechamos o MEC, o MPOG ( ministério do planejamento).
Enfim, não conseguimos reverter quase nada dos nossos pleitos, todos legítimos. Mas ainda assim, havia empatia pela democracia. Havia mobilização nas ruas. As greves eram consideradas direitos trabalhistas respeitados. Havia o entendimento na presidência da república, que o ativismo político é legítimo.
Pois bem, após um #golpeparlamentar, novos golpes nasceram. Os diálogos pioraram. Os orçamentos para as instituições federais dimimuíram. Os concursos públicos diminuíram para educação básica. O sucateamento da educação pública também piorou.
O #temer aprovou reforma trabalhista, super danosa, gerando flexibilização o que ampliou o desemprego e a precarização das condições trabalhistas.
O #temer, senadores e deputados aprovaram a emenda constitucional 95, que limitou o teto de gastos na área social por 20 anos (eu disse 20 anos), o que em outras palavras, modifica o compromisso do Estado Brasileiro com as áreas sociais, especialmente educação e saúde, como a nossa constituição de 1988 determina.
O #temer e deputados também aprovaram a reforma do ensino médio, danosa demais, que dentre outros prejuízos, desqualifica as políticas curriculares especialmente das ciências humanas  também estimula a valorização do ensino privado em detrimento do ensino público.
O #temer parou de investir em farmácias populares e no programa #maismédicos.
o #temer propôs a reforma da previdência que felizmente ainda não foi aprovada, mas que também prejudica enormemente a população que depende do Estado.
E chegamos em 2018, com todas essas medidas desastrosas provocadas por alguém que traiu a sua parceira de gestão pública apenas por vaidade, por poder, não pra cuidar do país e desfazer equívocos e diminuir a crise.
Tudo está sendo destruído por um DESGOVERNO que tem como um dos seus mais assíduos votantes o senhor #JairMessiasBolsonaroNUNCA.
Então, depois dessa exposição, eu só queria dizer que compreendo as mágoas com o PT, mas não compreendo a justificativa de votar em um cara que só quer aprofundar as nossas tragédias sociais.
Ele é homofóbico, odeia pretos, índios, gays, lésbicas, militantes, esquerdistas.
Ele é a favor do armamento.
Ele é um fascista confesso. Os vídeos e as falas dele e dos filhos revelam tratar-se de uma família apoiadora do fascismo.
#BolsonaroNUNCA representa a volta da ditadura, daí a minha aposta em #Haddad.
Daniel, meu sobrinho, é também por seu futuro que escrevo tanto, me preocupo tanto. Me importo com você, lindeza. Me importo com todas as crianças. Me importo com meu país. E amo a minha liberdade de escrever pra registrar a minha indignação frente a essa dura e triste realidade.
E sim, depois do dia 28/10, continuarei usando a cor que eu quiser e na defesa dos princípios que defendo no meu país que eu amo: democracia, amor, paz, justiça social e igualdade de direitos.

21 October 2018

"vire a esquerda, você chegou ao seu destino"

- e essas eleições, hein?
- pois é... o clima esquentou, mas acho que o coiso vai ganhar.
- por que você chama ele de "coiso"?
- porque não é bom falar o nome dele. Tenho vergonha.
- olha, eu também tenho. Mais que vergonha, eu tenho medo.
- a senhora vai votar no PT?
- eu vou votar contra o coiso.
- isso aí, eu não sou petista, nem gosto dele, pra falar a verdade. Mas prefiro votar no PT e não levar essa culpa depois. Minha mulher é professora e ela quem banca as despesas em minha casa. Com o uber, eu não consigo.
- você tem ensino superior?
- tenho sim! Sou analista de sistemas e fui demitido ano passado. A empresa deixou de assinar a carteira e não pagou o FGTS e nem salário-desemprego.
- oh... que desastre. Reforma trabalhista gerou muito desemprego. Culpa de Temer.
- sim, foi ele, aquele miserável.
- vamos seguir lutando e virando votos!
- sim!

19 October 2018

mais uma reflexão em tempos eleitoreiros

Fazer propaganda de um sujeito sem nenhuma virtude, é no mínimo contraditório quando se traz à tona a bandeira “de contra a corrupção” e justamente associando isso à Bolsonaro.
Ele, além de corrupto, é desonesto. Esteve no JN anunciando um kitgay que NUNCA foi encomendado nem circulado em escolas.
Ele é desonesto porque sonega impostos.
Ele é desonesto porque faz uso do auxílio-moradia mesmo tendo imóvel próprio. Se fosse honesto, abriria mão desse auxílio, porque é recurso público indo pra alguém que não precisa.
Ele é desonesto porque está fazendo uma campanha sem debate, ferindo a democracia como regime deste Estado chamado Brasil. Se você odeia o PT, e todas as suas propostas, pense em cada criança que está em plena fase de alfabetização. O cara está propondo ensino a distância para crianças!! Isso não te faz pensar quanto  será danoso para todos os brasileiros que não dispõem de recursos e se mães e pais trabalham, não terão como cuidar dos seus filhos que não terão mais escolas??
Veja para além do seu ódio.
Eu tenho inúmeras críticas ao PT, mas sei que nossa democracia está por um fio.
Esse cara é, além de desonesto, corrupto confesso, que não declara todos os seus bens, e ainda é apaixonado pelo torturador USTRA.
Jair Messias Bolsonaro é também homofóbico, machista e racista.

Essa é a mudança que precisamos?
Esse será um Brasil melhor?
Pergunte-se.
Reflita.
Reflita.

6 October 2018

sou de esquerda, muito prazer!

A nação brasileira é contra a corrupção”.

Essa afirmação, embora seja politicamente correta, implica repensarmos o que carrega implicitamente de recado. 

Não conheço ninguém que diria ser a favor da corrupção . Até os corruptos mentem e dizem que são contra!

É a nação contra a corrupção ou APENAS contra a corrupção do PT? A corrupção dos demais não assusta? Não gera indignação? Um candidato que tem seu patrimônio ampliado sendo parlamentar, não é um corrupto ou ainda não foi investigado?

O antipetismo faz brotar a ideia de que qualquer candidato da esquerda é do PT, por isso tem que ser combatido. 

Mas ora, a corrupção é estruturante na política brasileira! É preciso uma reforma política, com certeza!! E claro, não podemos esquecer que muitos  políticos de diversos partidos também são alvo de investigação, inclusive dos que estão no poder, que não são do PT. 

Além disso, sabemos que muitos processos de partidos que não são do PT estão arquivados, em primeira instância, a despeito de provas materiais e não apenas de delações. 

Dilma Roussef saiu do poder em 2016 e a corrupção continuou firme e forte. De lá pra cá temos tido aumento de inflação, de desemprego, de gasolina. Na lógica elitista, contrária à crise, o salário dos juízes aumentou. Nenhum benefício foi retirado do legislativo. 

Tem gente esperta e corrupta que não abre mão  do auxílio-moradia, mesmo tendo imóveis próprios, assim mesmo no plural. 

A atuação perigosa e desastrosa de temer continua a galope. A corrupção não saiu com a saída do PT porque temos muito mais corruptos atuando para não acabar com a corrupção. Tem gente grande lucrando com isso. 

Se a justiça tem sido seletiva, e por isso falha mas não tarda, prefiro acreditar que tem gente honesta e que pode devolver ao Brasil um mundo com mais oportunidades. 
Só identifico essa possibilidade entre os candidatos da esquerda. 

A junção de Haddad com Manuela Dávila, por exemplo, me agrada muito. São dois partidos, unidos por uma proposta que prevê investimentos sociais importantes nas áreas de educação, saúde e emprego.


Acredito neles. Acredito que podem juntos brigar por um Brasil melhor e continuarmos combatendo a corrupção independente do partido político associado, lembrando ainda que tem político que muda de partido.

20 September 2018

ligação perdida

Recebo em média 3 ligações por dia e sequer me dão bom dia, boa tarde. Perguntam pela minha amiga querida, que infelizmente não está mais entre nós.
Eu e Ana nos tornamos amigas no dia em que nos conhecemos. Lembro que estávamos numa reunião de plenária do Centro de Educação e falávamos sobre o Enade em Pedagogia. O ano era 2011.
Nós éramos muito diferentes no modo de pensar e mais ainda de agir. Era até engraçado! E como aquarianas, não foi nenhum problema conviver, pois o respeito sempre norteou nosso afeto.
Dentre outros bons pactos, a gente incorporou a  tradição de indicar a outra ao fechar algum contrato, serviço, e considero que isso é algo muito bacana entre amigos que residem fora dos seus estados e se apoiam mutuamente. Ana tinha minha chave de casa. Cuidava das minhas plantas e das correspondências. Ela tinha meu chaveiro com a torrezinha Eiffel.
Éramos irmãs.
Em nome de nós, de todas as pessoas que se irritam com ligações insistentes, eu gostaria de dizer a todas as empresas que me ligam que buscassem se informar sobre seus clientes. Mas que o fizessem com respeito e educação.
É sempre doloroso ter que dizer que ela faleceu. Isso agride. Porque eu quero me acostumar com a dureza da ausência dela em minha rotina, na UFAL, no café, no supermercado, na praia, e em todos os lugares que frequentávamos juntas.
A verdade é que ao indicarmos alguém como referência o fazemos porque nos exigem, e com certeza, imaginamos que nunca seremos importunados.
A ligação em si já é uma invasão, mas ter que repetir algo que dói, é uma desumanidade.

14 September 2018

36 anos de uma dor que nunca morre

36 anos. 36 longos anos que meu pai partiu. Durante muito tempo fantasiei que estava só em uma das suas muitas viagens. Que logo voltaria e que chegaria bem cansado, querendo colo. Que pediria seu chinelo pra minha irmã. Que chamaria todo mundo pra almoçar à sua volta. Era uma rotina que eu amava na infância: ouvir a buzina, gritar “chegou” e ir correndo abrir o portão pra receber nosso senhor Waldemar de Carvalho Santana. A vida segue. Nós seguimos com essa ausência. Seguiremos com saudade de sua presença tão forte e marcante. Sempre digo que devemos lembrar dos que partem pelas suas datas de aniversario, mas hoje senti cheiro de estrume de boi, senti muito a falta dele em todos esses anos sem seus conselhos, sem seu abraço, sem me dizer pra onde ir e o que fazer.